Mensagem do dia – Aproveite o agora.

Nunca descreia de si.
Há momentos em que tudo parece obscuro, confuso, difícil.
Só a força de uma autoconfiança pode desamarrar os nós
de amarguras e desesperanças que apertam você.
Então, confie em si.
Se agora empregar os potenciais e fizer valer a sua força
sobre as desventuras, a vitória aparecerá sorridente.
Então, assim faça!
Aproveite o agora.
Mostre valor, energia e o seu modo de operar transformações
positivas em tudo o que vivencia ou toca.
É de agora que vem a felicidade
que você aguarda desfrutar.
Anúncios
Publicado em Mensagens do dia. Etiquetas: . 1 Comment »

BOM DIA/30/11

Recarregue as baterias.
Preencha-as com ânimo e fé.
Para tal, olhe para a sua própria existência.
Ela, por si, é um sinal da presença de Deus em você.
Sinta-se com maravilhosa inteligência e em plenas condições
para desenvolver as poderosas energias da mente e do coração.
Você é divindade.
Não deixe para os outros o cuidado de
preencher as baterias que você tem.
Você é quem melhor as recarrega.
Então, ponha-se a trabalhar, com determinação.
É com as baterias carregadas que você melhor
desfruta os verdadeiros prazeres da vida.
Publicado em Bom dia. Etiquetas: . Leave a Comment »

A mochila e as pedras

Um fervoroso devoto estava atravessando uma fase muito penosa de sua vida, com graves problemas de saúde em família e sérias dificuldades financeiras. Por isso orava diariamente pedindo que o livrassem de tamanhas atribulações.

Um dia, enquanto fazia suas preces, um anjo lhe apareceu, trazendo-lhe uma mochila e a seguinte mensagem:

O Senhor se compadeceu da sua situação e lhe manda dizer que é para você colocar nesta mochila o máximo de pedras que conseguir, e carregá-la com você, em suas costas, por um ano, sem tirá-la por um instante sequer. Manda também lhe dizer que, se você fizer isso, no final desse tempo, ao abrir a mochila, terá uma grande alegria. E desapareceu, deixando o homem bastante confuso e revoltado.

“Como pode o Senhor brincar comigo dessa maneira? Eu oro sem cessar, pedindo a Sua ajuda, e Ele me manda carregar pedras?” Já não me bastam os tormentos e provações que estou vivendo? “Pensava o devoto. Mas, ao contar para sua mulher a estranha ordem que recebera do Senhor, ela lhe disse que talvez fosse prudente seguir as determinações dos Céus, e concluiu dizendo:

Deus sempre sabe o que faz…

O homem estava decidido a não fazer o que o Senhor lhe ordenara, mas, por via das dúvidas resolveu cumpri-la em parte, após ouvir a recomendação da sua mulher. Assim, colocou duas pedras pequenas, dentro da mochila e carregou-a nas costas por longos doze meses.

Findo esse tempo, na data marcada, mal se contendo de tanta curiosidade, abriu a mochila conforme as ordens do Senhor e descobriu que as duas pedras que carregara nas costas por um ano inteiro tinham se transformado em pepitas de ouro… , apenas duas pequenas pepitas.

Todos os episódios que vivemos na vida, inclusive os piores e mais duros de se suportar, são sempre extraordinárias e maravilhosas fontes de crescimento.

Temendo a dor, a maioria se recusa a enfrentar desafios, a partir para novas direções, a sair do lugar comum, da mesmice de sempre.

Temendo o peso e o cansaço, a maioria faz tudo para evitar situações novas, embaraçosas, que envolvam qualquer tipo de conflito.

Mas aqueles que encaram para valer as situações que a vida propõe, aqueles que resolvem “carregar as pedras”, ao invés de evitá-las, negá-las ou esquivar-se delas, esses alcançam a plenitude do viver e transformam, com o tempo, o peso das pedras que transportaram em peso de sabedoria.

Como está sua mochila?

ADVENTO

O advento é o tempo litúrgico que antecede o Natal.
São quatro semanas nas quais somos convidados a esperar Jesus que vem.
Por isso é um tempo de preparação e de alegre espera do Senhor.
Nas duas primeiras semanas do advento, a liturgia nos convida a vigiar e esperar a vinda gloriosa do Salvador.
Nas duas últimas, lembrando a espera dos profetas e de Maria, nos preparamos mais especialmente para celebrar o nascimento de Jesus em Belém.
Liturgicamente, o tempo do Advento (do latim adventus = chegada) corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal. As quatro velas representam essas quatro semanas e serão acesas, uma a uma, desde o primeiro domingo do Advento até o quarto domingo, sucessivamente. Via de regra as cores das velas devem corresponder à cor do tempo litúrgico – roxa -, diferenciando-se a terceira vela – rosa – como alegre preparação para a vinda do Senhor.
Neste sentido, relembramos que as vestes litúrgicas devem ser de cor roxa, como sinal de nossa conversão em preparação para o Natal, com exceção do terceiro domingo, onde o rosa substitui o roxo, revelando o Domingo da Alegria (ou Domingo Gaudette). O Advento deve ser tempo de celebração onde a sobriedade e a moderação são características peculiares da liturgia, evitando-se antecipar a plena alegria da festa do Natal de Jesus. Por isso, neste período não se entoa o “Glória” e nossos passos, nesse recolhimento, seguem em direção ao sublime momento do nascimento de Jesus.
Coroa do Advento
AS QUATRO VELAS
Na celebração eucarística, um pequeno rito pode ser colocado no início da celebração, liturgia da palavra ou qualquer outro momento conforme o designar o celebrante. O acender das velas, normalmente é aberto com a bênção das velas, canto e oração própria. Seria também muito próprio fazer, em nossas casas, uma breve oração e acendimento das velas nos Domingos que antecedem o natal.
1º Domingo do Advento – Acende-se a PRIMEIRA VELA
A luz nascente nos conclama a refletir e aprofundar a proximidade do Natal, onde Cristo, Salvador e Luz do mundo brilhará para a humanidade. Lembra ainda o perdão concedido a Adão e Eva. A cor roxa nos recorda nossa atitude de vigilância diante da abertura e espera do Senhor que virá.
Oração:
A luz de Cristo, que esperamos neste Advento, enxugue todas as lágrimas, acabe com todas as trevas, consolem quem está triste e encha nossos corações da alegria de preparar sua vinda neste novo ano de graça!
2º Domingo do Advento – Acende-se a SEGUNDA VELA
A segunda vela acesa nos convida ao desejo de conversão, arrependimento dos nossos pecados e também o compromisso de prepararmos, assim como São João Batista, o caminho do Senhor que virá. Esta vela lembra ainda a fé dos patriarcas e de São João Batista, que anuncia a salvação para todos os povos.
Oração:
A luz de Cristo, que esperamos neste Advento, enxugue todas as lágrimas, acabe com todas as trevas, consolem quem está triste e encha nossos corações da alegria de preparar sua vinda neste novo ano de graça!
3º Domingo do Advento – Acende-se a TERCEIRA VELA
A terceira vela acesa nos convida à alegria e ao júbilo pela aproximação da chegada de Jesus. A cor litúrgica de hoje, o rosa, indica justamente o Domingo da Alegria, ou o Domingo Gaudette, onde transborda nosso coração de alegria pela proximidade da chegada do Senhor. Esta vela lembra ainda a alegria celebrada pelo rei Davi e sua promessa que, agora, está se cumprindo em Maria.
Oração:

 

Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo vos digo: Alegrai-vos! O Senhor está perto”

4º Domingo do Advento – Acende-se a QUARTA VELA
A quarta vela marca os passos de preparação para acolher o Salvador, nossa expectativa da chegada definitiva da Luz ao mundo. Simboliza ainda nossa fé em Jesus Cristo, que ilumina todo homem que vêm a este mundo e também os ensinamentos dos profetas, que anunciaram a chegada do Salvador.
Oração:
Céus, deixai cair o orvalho, nuvens, chovei o justo; abra-se a terra, e brote o Salvador!
Deus, a grande luz!
O Filho de Deus está para chegar, então, nós O esperamos com luzes, porque O amamos e também queremos ser, como Ele, Luz.

UM MERECIDO VALOR

Um homem muito rico comprou um terno caríssimo.
No primeiro dia em que vestiu notou uma linha que pendia na lateral da calça. Sua empregada, sempre solícita, disse que rapidinho daria um jeito.
Ele, disse: – Você está louca? Sabe quanto custa uma calça dessas? Você teria que trabalhar pelo menos dois anos para pagar uma! A empregada afastou-se sem graça e ele decidiu que iria até a empresa responsável pela confecção do terno.
Chegou à empresa e falou com a recepcionista que logo o encaminhou ao gerente administrativo. Este, analisou o problema e o encaminhou ao gerente operacional.
O gerente operacional o encaminhou à diretoria administrativa que o fez parar na diretoria operacional Todos diziam ser um problema gravíssimo que deveria ser melhor analisado por uma grande equipe. E, assim foi até chegar ao presidente que ouvi-o atentamente relatar seu “grave” problema.
Depois de uns 10 minutos o presidente, muito simpático e educado falou:
– Meu amigo, não tem ninguém melhor que a Dona Maria da oficina de costura para lhe ajudar. Vá até lá que ela tem a solução!
O homem seguiu até a oficina, meio contrariado pois o presidente, o cargo mais alto da empresa, o tinha encaminhado a um departamento tão simples. Mas, resignado foi procurar a Dona Maria.
Já na porta da oficina de costura, a costureira que estava no corredor vendo aquela linha pendurada, correu, enlaçou–a e puxou suavemente tirando o “grave defeito” da calça do terno. Ele, assustado, começou a puxar a calça de um lado para o outro e viu que estava em perfeita condições.
A costureira ria de seu desespero e explicou: – Sabe moço, isso se chama limpeza de costura. Às vezes ficam linhas soltas dependuradas que o controle de qualidade não vê. Seu problema era simples e poderia ter sido solucionado pela sua empregada.
O homem, envergonhado, percebeu que às vezes os nossos funcionários, que estão perto de nós, sabem tanto quanto um presidente de uma empresa.
Entendeu que não damos o merecido valor àqueles que estão ao nosso lado na luta diária e estendemos oportunidades e pagamos caríssimo por um trabalho profissional por não confiarmos na capacidade daqueles que aprendem dia-a-dia ao nosso lado.
Publicado em Reflexão. Etiquetas: . Leave a Comment »

É sempre fácil encontrar-se explicação

É sempre fácil encontrar-se explicação mentirosa para negar
o que é certo e correto, pois que, dessa meneira, pode-se dar
prosseguimento e vitalidade aos disparates e comprometimentos
perturbadores. Deus, porém, que é todo Amor, não cessa de orientar
aqueles que se extraviam do bom caminho, da reta conduta, a fim
de que, quando convidados ao inevitável resgate, à recomposição
da ordem, não se creiam vítimas das circunstâncias ou aleguem
desconhecimento e falta de orientação própria para a conduta.
Ademais, o essencial não é a punição do criminoso, e sim a sua
reabilitação, e todo o empenho deverá ser para que o erro e os atos
condenáveis cedam lugar à ordem, ao equilíbrio social,
à dignificação do ser humano.

DEUS NÃO TE FALTARÁ

Difícil é o caminho de elevação.
Deus te guiará.
Espinhos talvez te firam.
Deus saberá curar-te.
Desenganos surgirão.
Deus se te fará reconforto.
Incompreensões, por certo, virão sobre ti.
Deus te fortalecerá para que as superes.
Provações despontarão do cotidiano.
Deus te apoiará, a fim de que possas vencê-las.
O desânimo te ameaçará.
Deus te renovará as energias.
É possível venhas a sofrer perdas de importância.
Deus te enviará os recursos de que necessites.
Em algumas ocasiões, talvez caias.
Deus te socorrerá para que te levantes.
As crises da senda de aperfeiçoamento, muitas vezes, se multiplicam, em
torno de teus passos.
Confia, porém, no amparo de Deus, trabalha, serve e caminha.
Deus não te faltará.